CONHEÇA A CIDADE DO BRASIL COM O 2º MELHOR CLIMA DO MUNDO.
22/06/2021 01:29 em DICAS DE VIAGEM

O município do Atibaia, distante a apenas 65 quilômetros da Capital, tem o segundo melhor clima do mundo, ficando atrás apenas de Davos, na Suíça. O dado é da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco). O clima agradável, que gira em torno dos 19 graus e umidade relativa do ar de 80%, atrai turistas de todas as regiões do País: alguns vão em busca de tranquilidade para fugir da agitação da cidade e curtir o merecido descanso, a natureza e ar puro. Por outro lado, há aqueles que vão em busca de emoções nas alturas para a prática do vôo livre, principalmente, asa delta e paraglider.

Para esses dois públicos, a principal atração da cidade é a Pedra Grande. Com 1.450 metros de altitude e 200 mil metros quadrados de superfície, a Pedra Grande é comparada aos grandes santuários que existem pelo mundo como Machu Pichu (Peru), Grand Canyon (Estados Unidos) e as pirâmides do Egito. O local é ponto de encontro tanto daqueles que buscam a paz interior e querem apenas contemplar a cidade pelo alto como também dos adeptos dos esportes radicais. A Pedra Grande é apontada como uma das melhores rampas de vôo livre da região. Entre os principais esportes praticados, estão a asa delta e o paraglider. Se você nunca praticou vôo livre, mas quer sentir aquela sensação de liberdade e muita adrenalina, a chance é essa: vários instrutores oferecem vôos para aqueles que nunca praticaram o esporte. O acesso para a Pedra Grande fica no km 65 da rodovia D. Pedro I.

Outra dica para quem vai em busca de emoção é a Estação Atibaia, que oferece circuito de arvorismo para adultos e crianças com 21 atividades, tirolesa e torre de rapel, com 12 metros de altura. Depois, para baixar a adrenalina, o turista pode fazer passeios de Maria-fumaça, conhecer o museu ferroviário e o galpão da restauração. Neste último, estão expostas locomotivas inglesas de 1881 e 1890, uma locomotiva americana de 1893, vagões de passageiros, bagagem, correio, administrativo, dormitório e restaurante, e um de um bonde de 1907.

De volta ao passado

E, por falar em passado, faça uma viagem no tempo, visitando o Museu Municipal João Batista Conti, a igreja do Rosário e o Casarão Júlia Ferraz. O primeiro foi construído em 1836, para abrigar a cadeia pública e o fórum da cidade. Hoje, o museu expõe documentos raros da época do Brasil Colônia e Império, além de fotos antigas da cidade e seus moradores. Já a igreja do Rosário foi construída pelos escravos impedidos de frequentar a igreja tradicional da cidade, a igreja São João Batista. A obra foi concluída em 1817. Há alguns anos, passou a ser palco de apresentações de corais e de música erudita.  A igreja São João Batista foi erguida em 1665, nas terras de Jerônimo Camargo, fundador da cidade. Abriga vários tesouros arquitetônicos e artísticos, como imagens barrocas e um painel pintado em 1911 por Benedito Calixto.

Outra construção de época é o Casarão Júlia Ferraz – único imóvel residencial que foi preservado na cidade. Em 1975, o casarão foi tombado pelo Condephaat, e considerado, a partir desta data, patrimônio do Estado.

Em contato com a natureza

Para os turistas que vão em busca de mais contato com a natureza, como um passeio de pedalinho ou uma caminhada, a opção é o parque municipal Edmundo Zanoni. Com 38 mil metros quadrados, possui uma vasta área verde com grande variedade de flores e um viveiro de pássaros. O local também abriga o Museu de História Natural e o Salão do Artesão.

Outros pontos muito visitados pelos turistas são o Lago do Major e a Represa da Usina. O lago possui pista de cooper, o balneário da cidade e campos para a prática de  esportes como futebol e voleibol. Já a represa, que foi construída em 1928, está localizada em uma Área de Preservação Ambiental (APA). O local é indicado para a prática de esportes náuticos e passeios de barco.

Festa do morango e das flores

Realizada há quase 30 anos, a Festa do Morango e das Flores acontece em setembro, no Parque Edmundo Zanoni. Durante três finais de semana, cerca de 100 mil turistas visitam a festa e se deliciam nas tradicionais barraquinhas que oferecem a fruta in natura e uma variedade de doces como tortas, pavês, bolos e mousses. A festa conta ainda com apresentações de grupos folclóricos de diversos países como Itália, Japão e Alemanha.

Como chegar

Para chegar a Atibaia, vá pela Rodovia Fernão Dias (BR 381), ou pela Rodovia D. Pedro I. A cidade limita-se a norte com o município de Bragança Paulista, a sul com Franco da Rocha e Mairiporã, a leste com Piracaia e Bom Jesus dos Perdões e a oeste com Jarinu e Campo Limpo Paulista.

Para saber como está o trânsito nas estradas, acesse os sites da Secretaria Transportes (http://www.transportes.sp.gov.br  o DER (http://www.der.sp.gov.br). O internauta pode ver o fluxo graças às 33 câmeras espalhadas pelo Estado que transmitem imagens em tempo real.

 

Da Agência Portal do Governo do Estado de São Paulo

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE